Pulo do Lobo

quinta-feira, dezembro 29, 2005

O Spin que Virou Twist

O DN de hoje traz uma notícia intitulada "Soaristas tentaram que o Governo reagisse a Cavaco" (p. 12) a propósito da sugestão de criar uma Secretaria de Estado para as empresas estrangeiras. A notícia é tanto mais espantosa quanto tem origem expressa em "dirigentes da candidatura" soarista, o que nos poupará ao piedoso desmentido. Aqui é clarinho quem quis mandar recados a quem.
E o que mandam os recados? "Esta era a melhor oportunidade para o Governo denunciar os riscos da eleição de Cavaco Silva", disse ao DN um membro da comissão política de Soares, que defendia a intervenção de um ministro, mesmo que falasse na qualidade de dirigente partidário. (...) "Pelo menos o ministro da Economia devia ter desautorizado Cavaco Silva", comentava ontem um soarista."
Ou seja, a candidatura de Soares arroga-se o direito de impor ao Governo e a um ministro concreto, pelas páginas de um jornal, o comportamento face a outros candidatos. Nada mal para quem acusa Cavaco de "intrometência" (a palavra é do cultíssimo Soares).
Mais espantoso ainda. Não satisfeitos com tal amostra de caudilhismo, os spindoctors de Nafarros atribuem "a atitude do Executivo à ausência de Sócrates. "Na direccção do PS, ele é o mais empenhado nesta candidatura." E também há quem, entre os soaristas, veja nesta "passividade" o reconhecimento de que Cavaco estará muito perto de ser eleito."
Eu até pasmo com a inocência.
Ficamos, portanto, a saber pelos soaristas que
1) a direcção do PS está tão dividida nas presidenciais que, se Sócrates vai de férias, ninguém mexe uma palha;
2) a direcção do PS já se resignou à vitória de Cavaco.
Os soaristas são como o Deus de Voltaire: se não existissem, teriam de ser inventados.

6 Comments:

Enviar um comentário

<< Home