Pulo do Lobo

domingo, janeiro 08, 2006

O exemplo de Xerxes

O exemplo de Xerxes vai mais longe do que se pensa. Diz-se que Xerxes, depois de ter perdido a batalha de Salamina, mandou chicotear o mar para o punir de ter afundado a sua poderosa frota. Chamou também umas coisas feias aos seus generais e soldados. Agora, do lado do MASP3, começou o período de Xerxes: Mário Mesquita chicoteia Grândola, chamando-lhe "amarela"; no Super Mario chicoteia-se o Expresso, Balsemão e , claro está, o "povo", o mar que está com os gregos e não com os persas. Vai haver muito ruído de chicote.

11 Comments:

  • At 12:03 da tarde, Anonymous António P. Castro said…

    Por falar em Mesquita, esse mestre da deontologia jornalística, acho que qualquer dia rebenta, tão impante se mostra da sua auto-suficiência. Cruzes, canhoto!

     
  • At 3:16 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Pobre país o nosso que está cheio de profetas da desgraça.

     
  • At 4:53 da tarde, Blogger Arrebenta said…

    Há quem diga mesmo que haverá um velho Citroen a ser chicoteado, cof, cof, cof...

     
  • At 10:43 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Razões de Alberto João Jardim
    para NÃO VOTAR CAVACO SILVA

    "Cavaco Silva é um tecnocrata, um político muito caloiro. Vejo nele um bom ministro, mas não lhe reconheço capacidade para chefiar um governo"
    1982, AGOSTO

    "Não é fácil esta relação financeira com o governo da República [chefiado por Cavaco]. Pensar que vai aparecer um primeiro-ministro, seja de que partido for, a dizer que está perdoada a dívida da Madeira, sem mais nem menos, isto é acreditar que o Céu vai transferir-se para a Terra. Isso não vai acontecer, Não acredito no
    perdão da dívida".
    1991, NOVEMBRO

    "A ida do prof. Cavaco para Belém seria nociva ao País e ao PSD"
    1993, NOVEMBRO

    "Não é com as caras de ministros do último governo de Cavaco Silva que se vai fazer a renovação do PSD"
    1996, JANEIRO

    "Marcelo está a conduzir bem o partido. Isso não podia continuar num certo dogmatismo e na teimosia política que marcou desastrosamente os últimos dois anos do cavaquismo"
    1996, DEZEMBRO

    "Para voltar aos tempos do cavaquismo, só por cima do meu cadáver. Os
    fantasmas do cavaquismo não assustam, têm é de ser exorcizados de vez"
    1996, DEZEMBRO

    "As nossas lutas [pela autonomia] tiveram obstacularização dentro do nosso partido no tempo de Cavaco Silva e dos seus colegas de direcção"
    1998, FEVEREIRO

    "Se é para voltar ao cavaquismo, serei oposição dentro do partido"
    1999, MARÇO

    "Ele [Cavaco] não gosta muito da minha maneira de fazer política, pois
    enquanto esteve no poder nunca me convidou para colaborar em qualquer
    actividade partidária. Não me fez falta nenhuma".
    2000, ABRIL

    "É natural que eles queiram ver-se livres de mim. Dentro do PSD cavaquista não morrem de amores por mim"
    2001, OUTUBRO

    "Só o facto de Cavaco Silva não gostar que ele seja o líder do PSD é mais uma razão para eu apoiar Santana Lopes"
    2004, JANEIRO

    "Se Santana Lopes não avançar para Belém , Cavaco Silva não terá caminho livre".
    2004, MAIO

    "Não gostava de ver Cavaco Silva como candidato do PSD à Presidência
    da República"
    2004, OUTUBRO

    Cavaco Silva teve um comportamento "inqualificável" e proferiu declarações que "prejudicam o PSD e causam instabilidade no país (…) Em democracia os maus políticos são aqueles que são rejeitados pelo povo (…) o povo já o rejeitou numas eleições presidenciais".
    2004, DEZEMBRO

    Cavaco Silva “é um homem do sistema (…) Não espere que alguém do partido na Madeira se levante cedo para ir pedir os votos nele”.
    2004, DEZEMBRO

    "Estou farto deste PSD e ideologicamente num campo oposto às opções
    neoliberalistas e cavaquistas".
    2005, FEVEREIRO

    [Como Cavaco] "diz que a Constituição não é um problema do País, ninguém levanta aqui o rabo da caminha para trabalhar para o cavalheiro" [nas eleições presidenciais]
    2005, JUNHO

    “A atitude do professor Cavaco justifica a abertura de um processo disciplinar que, se houver vergonha, culmina com a expulsão do senhor Silva”.
    2005, FEVEREIRO

    Cavaco Silva “apesar de ter uma maioria absoluta, deixou as Forças Armadas e as forças de segurança no estado subversivo em que se encontra. Deixou a Educação no estado decadente e sem valores em que se encontra, a justiça com a falta de credibilidade que tem. E a cultura foi o que se viu. Nas áreas que eram essencialmente políticas não mexeu uma palha”.
    2005, AGOSTO

     
  • At 10:44 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Razões de Alberto João Jardim
    para NÃO VOTAR CAVACO SILVA

    "Cavaco Silva é um tecnocrata, um político muito caloiro. Vejo nele um bom ministro, mas não lhe reconheço capacidade para chefiar um governo"
    1982, AGOSTO

    "Não é fácil esta relação financeira com o governo da República [chefiado por Cavaco]. Pensar que vai aparecer um primeiro-ministro, seja de que partido for, a dizer que está perdoada a dívida da Madeira, sem mais nem menos, isto é acreditar que o Céu vai transferir-se para a Terra. Isso não vai acontecer, Não acredito no
    perdão da dívida".
    1991, NOVEMBRO

    "A ida do prof. Cavaco para Belém seria nociva ao País e ao PSD"
    1993, NOVEMBRO

    "Não é com as caras de ministros do último governo de Cavaco Silva que se vai fazer a renovação do PSD"
    1996, JANEIRO

    "Marcelo está a conduzir bem o partido. Isso não podia continuar num certo dogmatismo e na teimosia política que marcou desastrosamente os últimos dois anos do cavaquismo"
    1996, DEZEMBRO

    "Para voltar aos tempos do cavaquismo, só por cima do meu cadáver. Os
    fantasmas do cavaquismo não assustam, têm é de ser exorcizados de vez"
    1996, DEZEMBRO

    "As nossas lutas [pela autonomia] tiveram obstacularização dentro do nosso partido no tempo de Cavaco Silva e dos seus colegas de direcção"
    1998, FEVEREIRO

    "Se é para voltar ao cavaquismo, serei oposição dentro do partido"
    1999, MARÇO

    "Ele [Cavaco] não gosta muito da minha maneira de fazer política, pois
    enquanto esteve no poder nunca me convidou para colaborar em qualquer
    actividade partidária. Não me fez falta nenhuma".
    2000, ABRIL

    "É natural que eles queiram ver-se livres de mim. Dentro do PSD cavaquista não morrem de amores por mim"
    2001, OUTUBRO

    "Só o facto de Cavaco Silva não gostar que ele seja o líder do PSD é mais uma razão para eu apoiar Santana Lopes"
    2004, JANEIRO

    "Se Santana Lopes não avançar para Belém , Cavaco Silva não terá caminho livre".
    2004, MAIO

    "Não gostava de ver Cavaco Silva como candidato do PSD à Presidência
    da República"
    2004, OUTUBRO

    Cavaco Silva teve um comportamento "inqualificável" e proferiu declarações que "prejudicam o PSD e causam instabilidade no país (…) Em democracia os maus políticos são aqueles que são rejeitados pelo povo (…) o povo já o rejeitou numas eleições presidenciais".
    2004, DEZEMBRO

    Cavaco Silva “é um homem do sistema (…) Não espere que alguém do partido na Madeira se levante cedo para ir pedir os votos nele”.
    2004, DEZEMBRO

    "Estou farto deste PSD e ideologicamente num campo oposto às opções
    neoliberalistas e cavaquistas".
    2005, FEVEREIRO

    [Como Cavaco] "diz que a Constituição não é um problema do País, ninguém levanta aqui o rabo da caminha para trabalhar para o cavalheiro" [nas eleições presidenciais]
    2005, JUNHO

    “A atitude do professor Cavaco justifica a abertura de um processo disciplinar que, se houver vergonha, culmina com a expulsão do senhor Silva”.
    2005, FEVEREIRO

    Cavaco Silva “apesar de ter uma maioria absoluta, deixou as Forças Armadas e as forças de segurança no estado subversivo em que se encontra. Deixou a Educação no estado decadente e sem valores em que se encontra, a justiça com a falta de credibilidade que tem. E a cultura foi o que se viu. Nas áreas que eram essencialmente políticas não mexeu uma palha”.
    2005, AGOSTO

     
  • At 2:32 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Não terá sido depois de Salamina, ó caríssimo, mas antes de passar o Helesponto: ligar a Europa à Ásia... só à vergastada!

     
  • At 3:02 da manhã, Anonymous FE said…

    O Dr. Alberto João Jardim, como todos sabemos, é como o Dr. Mário Soares, às vezes excede-se um "pouco".

    Com uma diferença, o primeiro diverte-nos mais e não é candidato à Presidência da República.

    Por isso, caro anónimo, permita-me que sugira idêntica pesquisa de citações do Dr. Mário Soares. Mas, já agora, utilize a mesma bitola na respectiva selecção...

     
  • At 5:40 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    São tão mimosos!
    Comparam o clown daq Madeira,esse "social-democrata" dos quatro-costados, proto-fascista e alcoolico, ao Dr. Mário Soares...
    É o cavaquismo em todo o seu esplendor!

     
  • At 9:59 da tarde, Blogger Pedro Marques said…

    Há sempre uns cobardolas que, sob a capa do anonimato, se sentem mais à-vontade para disparatar como tristes e trastes.
    O Dr. Mário Soares não é imaculado; pelo contrário, é cada vez mais maculado, muito por opção estratégica das orientações que definiu para a sua triste, descolorida e patética campanha. Terá (espero) o que merece, desde há muito tempo: o amargo sabor da derrota.
    Ao mesmo tempo, dos expectáveis vencedores, espera-se serenidade e maturidade política, para deixarem o Dr. Soares acabar a sua carreira política com dignidade.
    Onde é que eu já ouvi algo parecido com isto?...

     
  • At 10:45 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Anonimato?
    "Pedro Marques", tanto quanto sei, pode ser um "nickname"...
    Deixem-se de tolices e bufarias!
    a)Adalberto Vilharana da Silva

     
  • At 3:42 da tarde, Anonymous FE said…

    Caro Adal berto (à maneira do “007, ordem para matar”)

    Tanta jactância e bravura.

    Já percebi que não gosta do estilo do Dr. Alberto João Jardim. Eu, sinceramente, também não aprecio.
    Mas daí a ser um "clown", um "proto-fascista" e um "alcoólico", vai uma grande distância.
    O homem, independentemente do estilo, é empreendedor e deixa um legado, que não envergonha, em termos de desenvolvimento regional.

    Além do mais, em democracia, o Povo é SEMPRE soberano!

    Quanto ao Dr. Mário Soares, sempre lhe direi que também não aprecio o estilo. Mas poupo-o a adjectivos ignaros como aqueles que utiliza!

    Recomendo-lhe, pois, um pouco de humildade democrática ou, em alternativa, uma consulta de psiquiatria. O seu ego anda excessivamente obeso.

     

Enviar um comentário

<< Home