Pulo do Lobo

sexta-feira, janeiro 06, 2006

Estratégia Soarista: O silêncio submisso

Tudo aponta que reine um silêncio submisso nas hostes do Dr. Soares.

Não se esqueçam é que, no dia 22 de Janeiro, as culpas do descalabro não vão ser do Dr. Soares, para ele as suas responsabilidades “(…) não interessam. Não interessam nada”.

No entanto, as culpas vão ser de alguém e na ausência de uma qualquer "dona de casa" apontará o dedo a outros, começando pelos seus apoiantes mais próximos e acabando no Eng. Sócrates.

O Eng. Sócrates teima em não entrar no jogo, apesar das insistentes tentativas de o forçar a tal. Parece que custa ao PM afirmar um apoio que cada vez mais portugueses suspeitam que não existe para além do estritamente exigido para salvar a face perante o Partido Socialista.

Mas não se preocupem os apoiantes mais próximos, na noite de eleições, quando voarem “papeis e copos de água” à mistura com “berros” e “insultos”, o Dr. Soares explicará que afinal não passam de objectos políticos, perfeitamente legítimos nestas coisas das eleições.

Nada mais.

2 Comments:

  • At 5:34 da tarde, Blogger el__sniper said…

    Este post é interessante, porque se quer colar Socrátes a Soares em caso de derrota. É a preparar a colagem de Marques Mendes a Cavaco em caso de vitória? Mas não é Cavaco que nada quer com M.M.?

     
  • At 11:30 da manhã, Blogger JPB said…

    Sempre desconfiei que um dos problemas da candidatura de Soares é o facto provável de o pai da Pátria não ter no seu staff nem no grupo dos seus distintos apoiantes alguém capaz de o contrariar, de dizer simplesmente, «Sr. Dr., não tem razão».
    E essa reverência tola e estúpida faz de toda a máquina da candidatura nada mais que peso morto.

    Agora olha: resta apenas, parafraseando o que alguém uma vez disse, ajudar o doutor Mário Soares a acabar a sua carreira política com dignidade (se já não for tarde demais...)

     

Enviar um comentário

<< Home