Pulo do Lobo

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Déjà-Vu

"Nós vamos às eleições com as nossas próprias mulheres" - palavras ditas no Verão de 1979 por um então candidato a primeiro-ministro, referindo-se ao seu candidato adversário Sá Carneiro e a Snu Abecassis. Pouco tempo depois, Soares perdia as eleições.

9 Comments:

  • At 11:03 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Caro JCD,

    O próprio Soares já reconheceu que foi infeliz com esta frase. Miguel Veiga, no documentário que passou recentemente na televisão sobre Sá Carneiro, disse, para quem quis ouvir, que reconhecia a Soares a ombridade de ter pedido publicamente desculpa a Sá Carneiro e a Snu Abecassis por esta afirmação.

     
  • At 11:15 da manhã, Blogger jcd said…

    É verdade. E daqui a algum tempo, quem sabe, é também capaz de reconhecer que meteu água outra vez, com a história da "mulher do meu candidato".

     
  • At 11:21 da manhã, Blogger Pedro Picoito said…

    O problema não é apenas a acusação em si própria. O problema é Soares ter a triste tradição de não olhar a meios para diminuir os adversários. Como fez com Zenha, traindo-o e voltando contra ele o PS; como fez com Sócrates, dizendo que era o pior do guterrismo; como fez com Alegre, acusando-o de não ter o mínimo de ética por concorrer contra o PS; como tem feito permanentemente com Cavaco, sobretudo na questão da falta de "estrutura democrática". Mas fico sossegado: se Soares perder as eleições, há-de reconhecer que errou. Mais um motivo para votar contra ele.

     
  • At 12:02 da tarde, Blogger scelta said…

    Infelizmente os políticos são uns falsos moralistas, porque afinal nas suas casas também têm telhados de vidro.

    Também Cavaco Silva usou um argumento parecido, aquando das suas primeiras eleições presidenciais, acusando Jorge Sampaio de ser divorciado. Enfim...

     
  • At 12:43 da tarde, Anonymous josé carlos said…

    Qual é a história da "mulher do meu candidato"? Um linkzito?

     
  • At 12:47 da tarde, Blogger DCP said…

    Nada a que não estejamos já habituados com Mário Soares, a quem Salgado Zenha, mesmo às portas da morte, negou o perdão. Porque será?

     
  • At 12:59 da tarde, Anonymous Manuel P said…

    http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=623255&div_id=291

    Mário Soares deixou uma farpa inesperada em Cavaco Silva, depois de ter elogiado a presença da mulher, Maria de Jesus Barroso, em acções de campanha.

    "Tenho estranhado que a mulher de um candidato ande tão discreta e que quase não tenha aparecido até agora", comentou.

    15/12/2005

     
  • At 2:34 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Penso que apesar de o Dr. Soares se ter retractado em publico de tais insinuações, o que conta é que o que por ele foi dito é tão inconcebível, rasteiro e vil, que, sem dúvida diz-me muitíssimo mais acerca de quem proferiu a frase, do que o próprio visado. é muito simples.Não há volta a dar...por mais que se queira...

     
  • At 4:35 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Como era de esperar, entrou na ordinarice. Mas acho que isto é só o principio.

     

Enviar um comentário

<< Home