Pulo do Lobo

sexta-feira, janeiro 20, 2006

A Reflexão em Castanheira de Pêra (pede-se alguma tolerância para a repetição da palavra "deve")

Penso, apesar de tudo, que o 'cavaquista' deve sê-lo com cuidado. Mais: acho que o 'cavaquista' deve gostar, respeitar, amar, querer o bem do Doutor Mário Soares. Podemos mesmo dizer que, no limite, defendo que o 'cavaquista' goste mais do Doutor Mário Soares que do Professor Doutor Cavaco Silva. O dominó de parvoíces a que se pode resumir a campanha do Doutor Soares não nos pode distrair do facto de que os nossos maiores inimigos são Louçã, Jerónimo de Sousa e, até me custa a escrever o nome, Manuel Alegre. Apaguemos da nossa memória o inesquecível aviso de que as sondagens são feitas por "telefones fixos" ou o incrível desplante de se queixar da imprensa. Levemos com ligeireza o Super-Mário, que à parte umas fotos, fizeram desta campanha por Soares um discurso contínuo de análise freudiana sobre a trapalhada oral em que se pode transformar sempre e cada uma das intervenções do Doutor Cavaco Silva. Nem o Doutor Pacheco Pereira escapa à auto-publicitada omnisciência do Super-Mário. Imaginemos o que seria o Pulo-do-Lobo se nos tivéssemos dado ao trabalho de extrair sentidos ocultos ou evidentes a cada frase do Doutor Soares? Teríamos que, no mínimo, contratar centena e meia de escribas que se revezassem por turnos as 24 horas do dia, o que, valha a verdade, não seria difícil, dado termos, como diz Soares, o grande capital, os grandes banqueiros e as grandes empresas todas atrás de nós, mesmo agora está aqui um senhor com brilhantina no cabelo a mandar-me carregar nestas teclas. Sugeria, pois, esquecermos tudo isto em favor da memória. Quem leu, recortou, guardou, leu, releu, rereleu, rerereleu e rererereleu o artigo de Vasco Pulido Valente sobre os três Presidentes da República não pode ficar indiferente ao que foi e ao que representa o Doutor Mário Soares para Portugal. Todo o texto é uma elegia a Soares e, quer-me parecer, uma elegia merecida. Quase chorei quando a certa altura, Pulido Valente (o melhor escritor português vivo) diz sobre Soares, a propósito da segunda volta de 86: "Estava livre e, além disso, feliz". Conseguimos imaginar Cavaco "feliz"? O 'cavaquista' tem que assumir e não pode rejeitar esta diferença essencial, esta herança. Não se deve, no fundo é isto, colocar contra ela. O 'cavaquista' deve ser aquela pessoa que, como um Santo Agostinho invertido (ou inverso, sei lá), gostava de ser e ter o Doutor Soares, mas agora ainda não. O tempo está mais para pessoas que percebem, para pessoas que se preocupam e tratam da vidinha de cada um: do autocarro, da estrada, do esgoto, do imposto disto e daquilo, do papel, na empresa, do lixo, da ordem, da ambição, do querer ser rico passando por cima de tudo e todos (mas com cuidado), no fundo, tempos para as pessoas que gostam de mexer na merda. O papel do Presidente da República por estes dias é o de fazer ver aos portugueses que esse é o trabalho mais espinhoso, mais irritante, o que tem mais hipóteses de nos desmoralizar e deixar enterrar sem que nos apercebamos numa modorra assassina e que, portanto, é o que deve requerer de nós a maior motivação e esforço. A imagem de Cavaco, a sua pose seca, mirrada, picuinhas, aquele semblante de contabilista afogado em trabalho e que chega a casa e ainda faz umas "continhas para amanhã" contrasta aqui a seu favor e de modo decisivo com a "felicidade" de Soares, com a alegria de uma vida inteira para onde a carreira de "político profissional" foi a sua maneira de ser feliz. O 'cavaquista' deve perceber que o cavaquismo se é neste momento perferível ao Portugal de hoje, não é o essencial, e que para o essencial temos ali o Doutor Mário Soares, acarinhado por nós todos, sem excepção. Defendo um Doutor Mário Soares derrotado mas dignificado. Ajudemos o Doutor Mário Soares a sair desta trapalhada em que se meteu e em que o meteram, com a dignidade que ele e nós merecemos. Se para isso for preciso votar nele na primeira volta....

13 Comments:

  • At 1:31 da tarde, Blogger Arid Monk said…

    Conseguimos imaginar Cavaco "feliz"?

    Ah! Isto é mesmo como dizia o outro:

    Je laisse Sisyphe au bas de la montagne ! On retrouve toujours son fardeau. Mais Sisyphe enseigne la fidélité supérieure qui nie les dieux et soulève les rochers. Lui aussi juge que tout est bien. Cet univers désormais sans maître ne lui paraît ni stérile ni fertile. Chacun des grains de cette pierre, chaque éclat minéral de cette montagne pleine de nuit, à lui seul, forme un monde. La lutte elle-même vers les sommets suffit à remplir un cœur d'homme. Il faut imaginer Sisyphe heureux.

     
  • At 1:33 da tarde, Anonymous James Deannn said…

    Para além de não saber escrever, este menino merecia era uma bela expulsão do blog

     
  • At 1:36 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    que mau gosto... vai mas é pra escolinha seu inconsequente pueril!

     
  • At 1:42 da tarde, Anonymous Castro Mendes said…

    acha indicado escrever esse tipo de coisas neste blog?

     
  • At 2:37 da tarde, Anonymous CarlosC said…

    Chegou ao fim a campanha, ainda bem. No domingo à noite espero ver tranquilamente no meu sofá a vitória de cavaco e a derrota de soares. Mais uma vez irei assistir a um desenlace que a história se vai repetir. A vitória da sabedoria, da educação, do bom-senso, da integridade, contra o snobismo, a indiferença, do maldizer, da má educação, da prepotência, da profecia da verdade, etc... Ainda me lembro de nas autárquicas de 2001, soares participar activamente nas campanhas para as câmaras do Porto, Coimbra, Lisboa e Setúbal, e o PS perder todas essas câmaras. Ainda me lembro dos disparates ditos quando não foi eleito presidente do parlamento europeu, puro machismo bacoco. Será que os senhores jornalista já se esqueceram disso e também da relação com Bettino Craxi, um corrupto condenado, que teve que fugir para a Tunísia..., essas questões nunca foram direccionadas a soares, somente o passado de cavaco é que interessava questiona e discutir, as perguntas difíceis não chegavam a soares. Por último, será que vamos assistir no domingo a mais um acto de desespero de soares apelando ao voto desta vez nele mesmo? Afinal o crime compensa. Desrespeitou a lei nas legislativas de 2005, prevaricou nas últimas autárquicas e nada lhe aconteceu...Porque será?. Em Portugal ainda não há “senadores vitalícios”....

     
  • At 2:45 da tarde, Blogger Sam said…

    Viva Castanheira de Pêra!

     
  • At 2:57 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Ainda bem que só vi hoje este senhor escrever neste blogue...e sinceramente preferia nem ter visto.

    Podia bem ter guardado tal diarreia mental sofrida em castanheira de pêra.

     
  • At 3:55 da tarde, Anonymous Pres. da Câmara de Castanheira de Pêra said…

    Sr. Madeira,

    grato pela simpática referência, contamos que a sua visita pela zona centro esteja a ser do seu agrado. Verá que a gastronomia local não o deixará sair desapontado do nosso concelho. O seu post está a ser amplamente debatido nas duas rádios locais de que dispômos, sobretudo o título e o acento circunflexo correctamente aplicado.

    Não me importaria de cumprimentar os anteriores comentadores não fosse o facto de não compreender o francês e de achar algo rude tanta indignação por um post com um título tão belo.

    À menina Sam, os meus melhores e sentidos cumprimentos. Terá sempre rostos amigos para a receber na nossa terra.

     
  • At 5:01 da tarde, Blogger Charlotte said…

    Alto lá! "Quase chorei quando a certa altura, Pulido Valente (o melhor escritor português vivo)..." Mau, mau...

     
  • At 5:02 da tarde, Blogger zazie said…

    ahahahahaa ganda maradona! eu sabia que a betice oficial não era capaz de entender um bom nonsense.

    candidatos e almocreves há muitos, maradona só este e mais nenhum ":O)))
    Viva Castanheira de Pêra!
    Albatross! Albatross!

     
  • At 5:04 da tarde, Blogger zazie said…

    mas o mais giro é que o maradona é totalmente verdadeiro e transparente mas não foi feito para bonifácio ":O)))

     
  • At 7:28 da tarde, Blogger Afonso Azevedo Neves said…

    Desculpem lá, eu sei que o bom do maradona complica as jogadas mais simples, mas a verdade é simples: Soares é muitissimo melhor que o Alegre, este último é um absoluto vazio, zero, não está lá nada. Soares merecia, apesar das tolices que a idade o obriga a dizer, melhor destino que a humilhação no domingo.
    Como eu digo, o maradona complica tudo.

     
  • At 6:42 da manhã, Blogger Bernardo said…

    Grande maradona,

    Quem é vivo...
    Chegaste tarde mas chegaste. Grande post. É pena é a malta aí no burgo não ter grande sentido de humor.

    Esperemos que não haja razão para este blogue existir na segunda-feira.

     

Enviar um comentário

<< Home