Pulo do Lobo

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Alegre À Pesca

Sem ironias, confesso que não percebo Paulo Gorjão ou Constança Cunha e Sá quando dizem não perceber o sucesso de Alegre nas sondagens. É que as razões são relativamente simples. Alegre pesca à linha e os outros pescam de arrasto (excepto Cavaco, que mistura as duas). Em princípio, a pesca de arrasto rende mais porque traz tudo na rede, mas a sua área é limitada. Soares, Jerónimo ou Louçã arrastam na rede os cardumes compactos - em princípio... - do PS, do PCP e do BE, mas nada mais. Ainda por cima, há muito peixe miúdo que foge pelos buracos da rede e é pescado por Alegre. Eis a sua vantagem: pesca os eleitores um a um, mas tem a liberdade de pescar em todas as águas - ao contrário dos outros (excepto Cavaco, repito, que usa a linha à esquerda e o arrasto à direita).
Alegre pesca, em primeiro lugar, no próprio PS. Todas as sondagens o mostram: o voto socialista está fortemente dividido entre Soares e Alegre. Porquê, se a maioria absoluta de Sócrates foi há escassos meses? Porque há muitos eleitores socialistas, ou votantes no PS, que estão descontentes com as medidas impopulares do Governo e querem castigá-lo. Ora, justamente por causa da maioria absoluta, não têm medo do papão da instabilidade nem do papão do presidencialismo. Votam mais com o coração do que com a razão. E Alegre tem um grande capital de simpatia nas bases do PS, que se revêem mais na sua retórica dos direitos adquiridos do que no centrismo reformador de Sócrates. Além de terem visto na campanha, sobretudo graças à clamorosa ausência deste, que o pai Soares foi meramente instrumental na estratégia de um Primeiro-Ministro que já se resignou a conviver com o Presidente Cavaco.
Alegre pesca também no centrão pouco ideológico que oscila entre o PS e o PSD e está genuinamente farto dos partidos. É um eleitorado decisivo que se prepara para votar nos "suprapartidários" Alegre e Cavaco, nada ou pouco deixando para Soares. Aqui, o grande trunfo de Alegre é sem dúvida o cheirinho a pólvora da sua candidatura "fora do sistema", mesmo que os comentadores achem isso um pouco risível. O povão não acha e é o povão que vota - como já votou em Eanes e no PRD.
À esquerda, a pesca à linha de Alegre faz igualmente estragos, embora mais no PCP do que no BE. Os comunistas não esquecem - e ele não deixa de lembrar - o seu passado antifascista, sempre alimentado por uma oratória cheia de palavras como "liberdade", "resistência", "luta", "cidadania" e, claro, "Abril". Sobretudo "conquistas de Abril". E até "pátria". A extrema-esquerda é sensível a todas elas: há uma velha esquerda republicana e radical muito mais patriótica do que julgam as elites de Lisboa.
Por fim, a direita. E esta é talvez a maior surpresa, mas basta falar com alguns conservadores à antiga para se ver que Alegre pesca mesmo em todas as águas. O verdadeiro desprezo de alguns deles tanto por Soares, o traidor da pátria, como por Cavaco, o saloio da província, pode explicar o enigma. Ajudam o figurino de aristocrata (dizia Chesterton que a afinidade de classe é o único sentimento dos ricos...) e o papel de coitadinho maltratado pelo PS, que lhe vale insuspeitas simpatias. Parece-me, no entanto, que a principal razão está mesmo na campanha. Ao contrário de Soares, Alegre manteve a pose de estadista, recordou quem ia em segundo nas sondagens, pôs Louçã no devido lugar e levantou a voz a Jerónimo quando foi preciso. Ganhou assim o único atributo que a direita pede aos homens do poder: a respeitabilidade. E ganhou-a na exacta proporção em que Soares a foi perdendo com os ataques irrazoáveis a Cavaco e a deriva esquerdista. A exaltação da portugalidade, da CPLP e do desígnio nacional fizeram o resto.
Será tudo isto suficiente para chegar aos 20% que algumas sondagens lhe dão? Veremos no Domingo.

2 Comments:

  • At 8:37 da tarde, Blogger zazie said…

    È isso, ele apresenta-se descompormetido- nunca foi nada, pode ser tudo ehehe
    e é bem parecido, principalmente isso. Eu também não compreendo este fenómeno mas falo com tanta gente que me surpreende por votar num Manuel Alegre sem passado (do qual lhe desconhecem completamente todo o passado). Num Manuel Alegre fabricado agora apenas na televisão.

     
  • At 4:41 da tarde, Anonymous golfing equipment said…

    The modified Stableford system on the PGA tour is a thing of the past, as The International (a favorite among players because of the hospitality) was closed down forever. club I just want to stay healthy and keep concentrating on golf. Full story, The Golf Channel. J.

     

Enviar um comentário

<< Home