Pulo do Lobo

quarta-feira, novembro 16, 2005

As vantagens de saber economia (IV)

A economia e os economistas são muitas vezes mal tratados, não só por políticos humanistas, mas também por alguma intelectualidade portuguesa.
Em Portugal o economista ainda aparece associado ao especialista em finanças públicas. Essa associação resulta de aquela disciplina da economia ser, por razões bem conhecidas, das mais requisitadas na economia portuguesa. Aparentemente, ao fim de muitas décadas, de várias ocasiões de insolvência ou quase insolvência internacional e de muitas crises políticas, os políticos portugueses começam a perceber (não sem alguma pressão do exterior, diga-se) que o equilíbrio das contas públicas é uma condição necessária para o desenvolvimento.
Mas os economistas sabem que não é uma condição suficiente. E não há uma condição suficiente para o desenvolvimento dos países (lamento se desapontei alguém). Cavaco Silva sabe que é assim – a este propósito, ver post abaixo do Tiago. E explicar isso aos portugueses, isto é, que não há soluções mágicas para sairmos da cauda da Europa, será uma das funções mais importantes do Presidente da República. Saber economia só pode ser uma vantagem no cumprimento dessa função. Procurarei explicar porquê no próximo post.

3 Comments:

  • At 11:40 da manhã, Anonymous LA-C said…

    Dos candidatos à presidência há dois doutorados em Economia. Cavaco Silva e Francisco Louçã (este último com um curriculum científico bem mais relevante do que o primeiro, diga-se de passagem).

    Concluo então da tua argumentação que cada um de nós deve votar num de dois candidatos, Cavaco ou Louçã. Os outros candidatos não são suficientemente qualificados para serem presidentes da nossa República.

    Quem concordar com as ideias económicas de Cavaco, vota Aníbal. Quem estiver mais de acordo com as de Louçã, vota Francisco. É esta a tua argumentação?

     
  • At 12:20 da tarde, Blogger Fernando Alexandre said…

    Luís, como resposta ao teu comentário, ler As vantagens de saber economia (V), brevemente disponível neste blogue.

     
  • At 12:34 da tarde, Blogger Fernando Alexandre said…

    Em relação ao facto de Louçã ser economista e o seu perfil para Presidente da República ver As vantagens de saber economia (II). Não discuto os méritos do Francisco Louçã enquanto economista; critico o facto de ele e os seus apoiantes (na sua larga maioria da classe média) não retirarem as consequências das afirmações que fazem. Isto é, que tipo de sociedade pretende? uma sociedade de burocratas com planeamento centralizado? Dizias-me que já ninguém pensa no fantasma soviético. A Doris Lessing pensava que também já só havia comunistas na América do Sul. Eu espero que tenhas razão. Mas não se chega lá a partir das ideias que o Louçã apresenta para a nossa economia.
    Concluindo, é importante saber economia, mas o Louçã mostra que isso não chega.

     

Enviar um comentário

<< Home