Pulo do Lobo

segunda-feira, novembro 14, 2005

As vantagens de saber economia (II)

Francisco Louçã sabe de economia. Talvez por isso tenha eleito a economia a prioridade do seu ‘programa’ para a Presidência da República. Crescimento fraco e elevado desemprego são dois problemas identificados no seu manifesto eleitoral.
O fraco crescimento da economia portuguesa deve-se, em grande parte, a um débil crescimento da produtividade e este está associado ao elevado peso dos sectores que utilizam tecnologias baseadas em trabalho pouco qualificado. Assim, a saída da actual crise passa pela substituição das empresas daqueles sectores por empresas mais inovadoras e competitivas nos mercados internacionais. Ou por novas elites económicas, nas palavras de Francisco Louçã.
O desemprego é já muito elevado e deverá continuar a aumentar, mesmo que a economia portuguesa encontre a saída para a crise. Isto porque, numa economia de mercado, os desempregados dos sectores em crise não poderão ser transferidos para os novos sectores sem antes passarem por um processo de requalificação. No entanto, Francisco Louçã, que sabe que é assim, sugere que este problema pode ser ultrapassado com o abandono da obsessão pelo défice. Convinha que esclarecesse o sentido destas palavras. Estará por acaso a sugerir que deverá ser o Estado a representar o papel das novas elites económicas, absorvendo os cerca de 500 000 desempregados?
Francisco Louçã afirma no seu manifesto que “todos os candidatos têm uma responsabilidade primeira: dizerem quais são as suas escolhas.” Ficamos então à espera que nos diga, olhos nos olhos, se é com um sistema de planeamento central à soviética que nos irá garantir um futuro radioso ou se acredita na economia de mercado.

3 Comments:

  • At 6:56 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Bela teoria, para quem sempre viveu á conta do sistema, "BOYS" oportunistas, de teorias estamos nós fartos,E os Srs. Drs, da teoria até sabem que grandes grupos económicos nacionais, que até têm alguma expressão na europa e até pelo mundo fora, nasceram de cabeças inteligentes, trabalhadoras, produtivas, mas com poucas ou nenhumas habilitações académicas, de teóricos está o país cheio, Srs. como voz podiam sair do gabinete, e tentar a sorte por própria conta e risco, mas isso não acontece, porque é bem melhor estar sentado num qualquer gabinete, de um qualquer establecimento universitário, do que vir para a rua lutar, todos sabemos que o estado não paga muito mas paga certo,e ao contrário do sector privado não faz uma avaliação real do valor dos seus funcionários, no dia que isso acontecer, irá poupar muito dinheiro, se os docentes de qualquer nivél de ensino tivessem uma avaliação profissional, e de produtividade igual á de qualquer operário, amigos, acreditem, o quadro de pessoal, passaria para metade. Amigo, a sua teoria pode ter algum valor, mas não passa de teoria.
    P.S. um conselho, saia do seu gabinete, peça uma licença sem vencimento, de preferencia ilimitada, prove-nos que as suas teorias dão resultado, sabe!, quem é mesmo bom, não é funcionário do estado, trabalha no privado, e ganha muito dinheiro, por norma, teorizando como o meu bom amigo, irá ganhar por ano o equivalente ao que ganha em cerca de quatro anos no estado, só tem uma diferença, têm de trabalha.....
    O que eu não acredito que saiba fazer!

     
  • At 2:43 da tarde, Blogger Fernando Alexandre said…

    Caro,
    apesar de gostar muito do que faço, já pensei algumas vezes em mudar de actividade; mas comentários como o seu lembram-me que ainda há muito a fazer pela educação em Portugal.

     
  • At 7:15 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Caro,
    pelo menos temos algo em comum, algo vai mal na educação em Portugal, mas tem de ser feita por "Homens" de coragem, com garra, e determinação, e por alguem com horizontes rasgados, como os dos nossos antecessores, que tiveram a audácia de rasgar oceanos, e de conhecer mundo,não tinham muitos conhecimentos, mas tinham os suficientes para ser pioneiros, em descobrir o mundo, por isso, meu Caro lhe digo o País não necessita de nenhuma sumidade em determinada Area do conhecimento, mas necessita de muitos, com o conhecimento suficiente, nas varias areas do conhecimento.Não vejo qualquer mais valia, em ter na politica grandes crâneos em determinadas areas do conhecimento.
    Caro
    Polivalência, é muito mais util para a sociedade.
    Se o seu idolo é um bom Professor! um bom economista! que se deixe ficar a fazer o que bem sabe, porque na politica já deu provas que não está á vontade, prafrasiando um Professor que penso ser tambem uma referencia sua, Cavaco já teve nota negativa, por duas vezes consecutivas.

     

Enviar um comentário

<< Home